O encontro surgiu do nada... poucas vezes parei e pensei no porque das coisas.

Eu querendo relembrar mais e essa chuva acabando com a minha graça... amanhã eu volto...



 Escrito por Orlando Silva Netto às 16h59
[] [envie esta mensagem]



(cont...)
A cabeça a mil, os devaneios, velho escravo do pensar. Quem procura nem sempre acha, quem sente saudade, na velha idade relembra, a dor física, a carência química. O bucólico fim de tarde, a linha que não termina, o destino as vezes perto as vezes longe.
Um velho dia, as mãos dadas, o caminho certo e determinado, o tempo escasso, o jogo dos sete erros, quem cometer menos ganha. Andando sem medo, aproveitando e provando os sabores e dissabores dos atos.
A cada passo o rítimo cardíaco aumenta. As palavras quebram a barreira, os lábios vão tocando aos poucos, o calor o desejo, o frenesi de senssações. O borbulhar sanguíneo. A reação mais que esperada. Em estações diversas, mas cruzando a mesma linha.
O vapor para, os sonhos e pesadelos por um tempo terei paz. Mas terei de dormir.
A estação que acabo de parar, trouxe o desabrochar da mais bela flor, a morena que me fez esquecer do passado por um instante.



 Escrito por Orlando Silva Netto às 02h53
[] [envie esta mensagem]



A chegada a cidade foi conturbada, não esperava sair da capital para uma cidadezinha campestre, com ares bucolicos, e nas vielas e becos, pessoas de mais simples almas. Nas encruzilhadas alguns malandros, assim como nas tavernas dos boêmios prosadores.

Quando um desconhecido chega em uma cidade logo corre na boca do povo, e uma curiosidade quase inimaginável, foi assim minha primeira experiência. Sair da capital não foi escolha, foi decisão a ser tomada na hora, ou sai ou irá ser perseguido, entre a liberdade dos pássaros a imobilidade do escravos, escolhi a cidade de Mariana. Afastada a uns 2 dias de viagem de.

- Meu senhor, seu bilhete e uma boa viagem. Uma moça loira a minha frente, com vestido apertado nas ancas, e um farto colo, muito bonito, tinha lá seus 25 30 anos, não sabia se era casada ou moça solteira, mas que era linda, a se era. Algumas pessoas no trem são mais fáceis de lembrar, senhoras crianças e velhos, pessoas de todos os tipos. Mas na mente vem você:

No turonos das coisas

Nas tarefas mal feitas

Nos desafios insuperáveis,

Na desconfiança inimaginável,

Voltamos na mesma direção

Um não acredita

E o outro pede perdão

Sempre haverá começo,

Sempre existe uma nova estação,

Mas de tudo, entre lembranças

E a cada dia que passa eu estou sem você.

 

Ter que partir e te deixar não foi fácil, nossa despedida calorosa, e a promessa de cartas escritas, juras de amor eterno, que o fel da vida não desate este nó, que a na garganta a lagrima ao rosto escorre, e o sorriso já não é o mesmo, ter que partir não foi escolha fácil.

- Meu senhor posso me sentar ao seu lado?

- Com todo gosto. Um senhor com sua meia idade, pela vestimenta deve ser mais um rico fazendeiro, desde as botas de couro a bengala com âmbar na ponta.

- Senhor, o senhor. Breve pausa.

- O senhor irá para Mariana?

- Sim, dizem que é muito boa a cidade. Vagando nos breves pensamentos, e na lembrança da felicidade que um dia tinha e que terá que perder por algum tempo.

- Desculpe a intromissão, mas quem é a bela no retrato que carrega?

- Alguém muito especial que tive que deixar aqui, mas que o mais rápido venho buscar para comigo morar.

- O senhor pela vestimenta deve ser um nobre fazendeiro?

- Tenho algumas terras, não é muita coisa de grande monta, mas o preço do café e algodão não esta me agradando muito, esta dando mais para cobrir os gastos, e pagar os empregados.

- E o senhor o que fará em Mariana?

- Procurarei um lugar para ficar quando chegar a cidade, e depois sairei a procura de alguns afazeres. Talvez a única conversa que tive no trem, já que minha cabeça não parava de pensar, no tudo que deixei para traz, e que novamente terei que reconquistar, deixo na lembrança a força que preciso para reconquistar e refazer minha historia.



 Escrito por Orlando Silva Netto às 16h17
[] [envie esta mensagem]



Faz tempo que estou adiando esta decisão, mas eu já sabia que este dia chegaria, por indas e vindas, recados, lagrimas, soluços, alegrias, tristezas, palavras, letras, versos, inverso. Eu consegui atingir um nível que pra mim já basta, agora que acabei com linhas e linhas em minha cabeça, deixarei ela por alguns anos descansando, juntarei mais conhecimento, mais historias, mais material para que depois possa novamente regressar as reflexões.

 Reflexões, que pode ser um reflexo meu, um ato sem nexo, uma vontade de querer contar o que aconteceu, mas de uma forma que faça alguém pensar, que de prosa e poesia cria-se, de rimas, algumas ricas, outras pobres, de verso, ou apenas poucas letras, mas com muito significado. Não consigo dizer o tanto de cultura que consegui com o meu blog, eu o fiz publico e fizeram-no conhecido. Já escrevi muita coisa ruim, de baixa qualidade cultural, pelo menos pra mim, mas fiz coisas lindas que me orgulho, e as vezes penso, como minha cabeça pode escrever coisa tão bela.

“Escrevi pra caralho, e né que algumas coisas aconteceram.”

   No mundo das três verdade, a minha a sua e a verdadeira, neste blog constava só a minha, por isso posso dizer que algumas coisas até aconteceram de verdade, outras, apenas criação da minha cabeça. Mas se escrever é um exercício, vou parar de malhar, estive muito “bolado”, uma leve brincadeira de uma pessoa que não acredita no que escreve.

Em uma conversa com um amigo, eu o deixei desanimado, pois este acreditava que eu idolatrava, ou que simplesmente acreditava no amor, e em uma breve expressão, “eu não acredito no amor”.

Eu aprendi a expressar sentimento em palavras, e dessa combinação fiz bem, mas não acreditava no amor quando escrevi coisas lindas, foram apenas impulsos, apenas vontade reprimida, apenas paixão que queima, e queimou, a paixão eu decifro como uma vela, você acende, ela te da energia, ela te mata, e este blog foi de um rapaz apaixonado pela pessoa que escrevia, a que o inspirava, um ótimo escritor, e um péssimo amante, pois dei valor a muita gente que não merecia, e aprendi com meu erro, a chama apagou.

Sempre tive problemas com paixão, sentimento besta, sentimento torpe, uma droga, nada de útil cria, bom, não posso ser ingrato, criei muitas reflexões, quanto mais escrevia, mais a pessoa que me inspirava esvaia de mim, sorte minha, de todo esse blog de quem apaixonou-se, escreveria menos e viveria menos, se seguisse os conselhos, sorte que não os segui, pois nem algumas linhas de historias eu poderia ter, e qual o sentido da vida? Viver? O epitáfio, de poderia der amado mais, nem fodendo, muito pra minha cabeça, o que penso é que poderia ter te encontrado antes.

Mas o sentido deste texto era uma despedida, e poderia escrever mais, mas não irei mudar o tópico frasal que teria que dar, o núcleo.

E o núcleo é despedida. E por isso venho a publico dizer.

“ Não irei tirar o blog do ar.”

“Irei aposentar o blog.”

Vou dizer, isso sempre aconteceu, eu parei de escrever a dois anos atrás e voltei, eu não sou um ser linear, sou descontinuo, e previsível em se tratando de literatura.

Hoje encontrei alguém pra amar, e o melhor disso é que ela me ama, não vivo mais na lua, mais no mundo das reflexões, uma pena para os leitores, mas uma felicidade a mais pra mim, pois encontrei alguém que pretendo ficar até quando a matéria tever um fim.

Encontrei realidade, mas não abandonarei vocês, ainda tenho planos de escrever um romance, apenas um, mas um romance. Andei treinando algumas passagens. Mas tudo treino, consegui conhecer algumas pessoas através deste blog e não pretendo decepciona-las.

Hoje eu encontrei um amor, poderei escrever de amor através da comparação de sentimentos, mas amor não escreve, amor se sente, e vive, e voce sempre sabe ou fica na duvida, oque é sentimento tão pesado, que cria onus as partes amadas, pois com tal zelo, ou muito regar, a planta brota e cria frutos, e a dedicação deste é apenas de uma pessoa a outra.

No escrever quando o sentimento for exaltado, retornarei ao blog para ler minhas reflexões, sentimentos exaltados, paixão, nem muito paixão, mais teimosia e lição, eu teimei em ficar e aprendi uma lição, não teime, saia antes que o barco afunde. Mas é isso. Hoje é minha despedida.

Obrigado por ter você em minha vida.

Obrigado por ter perdido seu tempo lendo algumas de minhas reflexões.

E para os que não conhecem.

Escrevi coisas lindas, mas coisas medíocres, sempre tive altos e baixos.

Mais uma vez. Obrigado.

Até a próxima.

Um dia eu volto, eu sempre volto, seja (...)

Hoje amanhã e sempre!!!!!

“ (capital inicial)”

Sempre!!!



 Escrito por Orlando Silva Netto às 17h34
[] [envie esta mensagem]



Depois de tudo vivido,

Como ainda pode não me querer,

Se pudesse faria tudo por você,

Buscava o brilho das estrelas,

O calor do inferno,

A paz do céu,

A beleza da sua imagem

Purificação da perfeição da natureza,

Se ao menos pudesse te apagar,

Se quisesse te apagar,

Você começa a brincadeira,

Você termina a brincadeira,

Não seja egoísta comigo,

Pois meu erro foi amar você...



 Escrito por Orlando Silva Netto às 12h06
[] [envie esta mensagem]



 

Seu coração petrificado,

Sua arrogância massacra,

Mata, chora, morre, vive, revive...

Resofre me mata...

Se ao ver-te o coração não batesse tão rápido,

Mulher coração de pedra,

Dei amor ao meu desamor...

Fale que me odeia,

Fale que foi apenas brincadeira,

Fale que foi apenas ilusão,

Que nem em um sonho perfeito seria tão bom...

Apenas fale,

Fale algo para que eu te esqueça....



 Escrito por Orlando Silva Netto às 12h06
[] [envie esta mensagem]



Se ao menos pudesse ser um pouco frio,

Se ao menos mandasse em mim,

Se por um minuto sua imagem poderia fugir da minha mente,

Se ao menos sozinho desolado sozinho estivesse,

Este sentimento por ti “chama” que me mata dia-dia,

Por não conseguir te esquecer,

Me machuco e me esqueço hora-hora,

Se apenas uma chance me desse,

Se ao menos pudesse reconhecer o amor

Que ainda tenho a dar-te,

Se for me avise-me

Se avisar me chame a ir junto,

Sem caminho perdido

E no centro do meu coração um redemoinho,

Se o ódio de sinto fizesse te esquecer,

Se o amor que não sinto por mim

Fizesse te esquecer...

Se ao menos pudesse eu te esquecer...



 Escrito por Orlando Silva Netto às 12h05
[] [envie esta mensagem]



Por alguns momentos queria ser seus pensamentos,

Queria só poder entrar na sua cabeça e te entender,

Queria só poder dizer que venci seus medos,

Só queria não ver-te mais chorar,

Por esses mesmo momentos queria ser seu sono

Seu sonhos, seu calmante.

Queria apenas te deixar em paz,

Queria apenas te deixar a minha paz,

Eu poderia não querer perceber,

Mas percebi,

Por que lagrimas?

Acordei cedo e ao teu lado quis te dar força,

De tarde fui estudar ao teu lado,

E em casa pq lagrimas???

O que há de tão errado.

Por esses e alguns motivos,

Queria ser apenas teus pensamentos,

Queria apenas ver que não há mais lagrimas triste,

Que pensamentos poderiam não ser suficientes,

Queria então ser apenas uma musica,

A que mais gosta, a que mais te deixa feliz,

Ou ser uma foto em momento de felicidade,

Apenas queria ser o que te deixa feliz...



 Escrito por Orlando Silva Netto às 17h45
[] [envie esta mensagem]



Hoje pensei no amor.

Pensei em tudo que tive na vida,

E se realmente foi amor.

Hoje pensei nas feridas feitas pelo amor,

Nos traumas deixados pelo amor.

Relembrei de tudo que o amor me disse,

Mas confesso não achar o amor,

Só achei palavras pisadas,

Flores despetaladas,

Corpos com marcas,

Espaço ar mundo espada,

Hoje peguei o mapa e fui achar o amor,

Convivi tanto tempo com ele, impossível

Errar o caminho.

Revirei o mapa e nada do amor,

Mas hoje eu vou achar o amor que tive,

Mas foi hoje que percebi não ter o amor,

Foi hoje que percebi,

O amor não tem caminho

O amor não tem palavras

O amor não tem marcas.

Para achar o amor, basta sentir.

Por tudo que passei,

Por tudo que senti,

Confesso não achar amor

Que hoje estou sentindo,

Hoje eu sinto ele em mim e sinto em você...

 

Reflexão: Hoje sinto amor



 Escrito por Orlando Silva Netto às 23h27
[] [envie esta mensagem]



Antes de tudo, queria dizer que volto em breve, mais breve que pensar.

Antes de tudo, queria dizer que mesmo indo, ao meu lado nunca saiu.

Antes de tudo, queria dizer, muitas vezes já dito o quanto a amo.

Antes de tudo, queria eu dizer, muitas vezes apenas basta sentir.

Antes de tudo, queria eu dizer, ao chegar ligo, ao partir, só espero.

Antes de tudo,  queria dizer, mas pode parecer eternidade, mas é só um dia.

Antes de tudo, queria dizer, mas já disse muitas vezes, sem você, nada teria acontecido.

Antes de tudo, antes mesmo do antes, não imaginava que seria tão feliz.

Antes de tudo, do seu beijo levo o gosto bom.

Antes de tudo, do seu corpo relembro no tato.

Antes de tudo, da sua voz, “estupidoooooooooo” relembro.

Antes de tudo, a menina dos  meus olhos, de olhos puxados estão.

Antes mesmo de começar a escrever, sinto tantas sensações que não dá para descrever.

Mas antes de tudo bem sabe o quanto amo você...

 

Reflexão: Patricia Y. N.



 Escrito por Orlando Silva Netto às 23h58
[] [envie esta mensagem]



Sinto a brisa do amanhã

Sinto a esperança

Sinto o caminho se abrindo

Sinto o tempo das provações acabando,

Sinto que esta chegando a hora de partir

Sinto coisas que não sentia antes.

Sinto que te perdi

Não sinto mais comigo,

Pode ir, perturbe outro,

Sinto que amanhã há

De morrer uma parte tua,

Sinto que em mim não fica mais...

Sinto que não sinto mais medo,

Sinto que esta indo embora vagarosamente

E sinto não ter saudades...

Sinto muito,

Mas o medo não o sinto mais...

 

reflexão: adeus medo...



 Escrito por Orlando Silva Netto às 23h50
[] [envie esta mensagem]



Na ternura de um beijo,

No aquecer de corpos,

Na mistura de sentimentos,

Na fusão de desejos,

E a mesma boca

Viciada em teus beijos...



 Escrito por Orlando Silva Netto às 03h41
[] [envie esta mensagem]



Por mais que cometa erros,

Por mais que exista o perdão,

Por mais coisas que poderão acontecer,

Eu gosto de você,

Eu mudo,

Eu me refaço,

Apago tudo, mudo a linha

Engrosso o traço,

Perco peso,

Ganho cabelo,

Não prometo

Apenas realizo desejos,

Com um sorriso seu já fico feliz,

Então fazzz fazzzzzz faaazzzz

Ria crie mude,

Mas não esqueça,

Eu amo você...

 

reflexão: A você...



 Escrito por Orlando Silva Netto às 03h38
[] [envie esta mensagem]



Você foi a mulher

Que mais me amou,

Você é a mulher

Que me ama,

Eu marquei tua Vida,

Você não deixou

Eu perder esta vida,

Alguns anos ao teu

Lado, Muitos anos sem

Meu lado,

São dois corpos

Separados...

Sei que sempre esqueço seu dia,

Sei que nunca esqueceu o meu...

Percebo a falta que faço

Em tua vida...

Você abdicou do teu

Amor,

Hoje estou vivo,

Se estivéssemos juntos

Hoje não estaria aqui...

Com tal zelo sei

Que sempre estará me amando,

Andando com o tempo as

Feridas cicatrizam,

Sei que com o tempo

Juntos não estaremos...

Com este mesmo tempo

Eu levo comigo

Todos os anos juntos

E essa vida que você

Me deu.

Esse direito de reviver...

Reflexão: À M.Q.M.D.V.-M.M.



 Escrito por Orlando Silva Netto às 03h11
[] [envie esta mensagem]



Não pense que foi fácil minha escolha,

Entre o amor e a dor,

O ter e dester não tendo

Ficando  sumindo,

Existir sonhando,

Amar errando,

Você me fez escolher,

Você deu o seu melhor,

Você esta acima de uma mulher,

Minha presença te machuca,

Meu gelo te mata,

Minha alma relutou em ficar,

Meu coração na terra

Nem sementes plantou,

Foi apenas um chau,

Duas pessoas,

Dois amores,

Uma mulher que ficou

Chorando,

O ser que parte para ter o direito

De  viver...

 

Reflexão: Esta Grande Mulher...



 Escrito por Orlando Silva Netto às 03h09
[] [envie esta mensagem]



[ ver mensagens anteriores ]


Meu perfil
BRASIL, Sudeste, Homem


 


Histórico
01/08/2008 a 31/08/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/07/2006 a 31/07/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/11/2005 a 30/11/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/11/2004 a 30/11/2004


Votação
Dê uma nota para meu blog



O que é isto?